8 dic. 2010

Carta a Dulce Pontes para cancelar a súa actuación en Tel Aviv


Carta a Dulce Pontes para que cancele a súa actuación en Tel Aviv o 21 de decembro 2010

Escribe a: ondeia@dulcepontes.net ou chama a Ondeia (o seu representante) ao:

+351 912899524

Querida Dulce Pontes,

Escrevemos-te como fãs apaixonados da tua música e a tua voz. Preocupou-nos saber do teu próximo concerto em Telavive, programado para o dia 21 de dezembro de 2010. Queremos pedir-te que canceles essa actuação. Apesar da comovedora beleza das tuas melodias, se atuas em Israel estarás a te tornar cúmplice da normalização de uma situação que não tem nada de bela, senão que para quem a sofre se aproxima bastante do horror. O estado de Israel mantém uma ocupação militar e uma exploração económica, isto é um regime colonial, sobre uns territórios aos quais não tem direito segundo a legislação internacional. A população desses territórios sofre a opressão de viver sem direito a um Estado próprio e vive em condições muito precárias nos acampamentos de refugiados dispersos pelo Oriente Médio.

Numerosos líderes políticos ou comandos militares israelitas têm problemas ao tentar entrar em outros países porque estão pendentes de julgamento por crimes contra a humanidade.

A tua atuação em Israel implica que se pode atuar dessa forma sem que suceda nada, que se possam violar de maneira flagrante as leis humanas sem pagar nenhum preço por isso.

Rogamos-te que canceles o teu concerto em Telavive e te unas à campanha BDS, que propõe, ao igual que sucedeu com a África do Sul quando o regime do apartheid manteve à população negra separada e oprimida, o isolamento de Israel em todas as frentes possíveis: económica, artística, educativa, desportiva, cultural, enquanto esse país não aceite a vigência da legislação internacional, o que significa na prática o cumprimento das resoluções de Nações Unidas que ditam o regresso dos refugiados palestinos aos seus lares, a volta de Israel às fronteiras internacionalmente reconhecidas e o fim da ocupação. Cada vez mais personalidades do mundo da cultura ou da arte, tais como Elvis Costello, os Pixies ou Pink Floid, cancelaram os seus compromissos em Israel e uniram a sua voz à campanha a favor do boicote.

Se a beleza quer ser beleza, não pode se fazer cúmplice do horror.
Atenciosamente,